Segunda-feira, 27 de Maio de 2024


Cotidiano Quarta-feira, 18 de Novembro de 2015, 16:38 - A | A

Quarta-feira, 18 de Novembro de 2015, 16h:38 - A | A

Música

Agente penitenciário ajuda jovens carentes por meio da música

O servidor reserva parte do tempo livre de serviço para ensinar 60 alunos, entre 8 e 16 anos, a tocar instrumentos de fanfarra

Myllena de Luca
Capital News

Divulgação/Ediçãoms

Agente penitenciário ajuda jovens carentes por meio da música

Agente se dedica para mudar vidas de jovens

O servidor da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) ajuda a transformar a vida de crianças e adolescentes carentes na cidade de Coxim, Mato Grosso do Sul. Com a música, o agente penitenciário Josias Alves Gomes tem usado o próprio exemplo para ajudar os jovens em seguir longe da criminalidade.


Aproximadamente um ano e meio o agente atua no Estabelecimento Penal Masculino de Coxim (EPMC). O servidor reserva parte do tempo livre de serviço para ensinar 60 alunos, entre 8 e 16 anos, a tocar instrumentos de fanfarra. “Eu sou um exemplo do poder que a música tem em influenciar positivamente as crianças, fiz parte de um projeto como esse quando eu era pequeno e isso me ajudou demais a me tornar um adulto responsável”, comenta.


O projeto rendeu em 2015 ao agente penitenciário uma “Moção de Congratulação” da Câmara Municipal, em reconhecimento aos relevantes serviços prestados para a população. O trabalho junto às crianças iniciou em 2004 na casa do servidor penitenciário. “Na época, eu usava equipamentos adaptados que emitiam som, como baldes e cabos de vassoura, e ensinava os filhos dos meus vizinhos”, descreve. Ele conta que a iniciativa foi se ampliando e em 2009 conseguiu um reforço considerável com a doação de instrumentos musicais pela Prefeitura de Coxim.


O projeto é conduzido pela Associação dos Amigos, Voluntários e Colaboradores (AAVC), que cedeu espaços nos bairros Piracema e Senhor Divino para a execução do projeto, e fornece lanche e transporte aos alunos, provenientes de vários cantos da cidade. No local ainda são oferecidos reforço escolar e aulas de computação; além de assistência em várias necessidades materiais, de saúde etc., envolvendo até mesmo os pais dos jovens, que podem participar de aulas de artesanato e aprender uma nova profissão. No total, são cerca de 440 assistidos pela instituição, incluindo crianças que fazem parte de outros projetos.


De acordo com o diretor-presidente da Agepen, Ailton Stropa Garcia, iniciativas como esta mostram, não só a qualidade, como também o grande valor profissional dos agentes penitenciários de Mato Grosso do Sul, que, vendo como o crime é pernicioso e como é importante a melhor formação de nossas crianças, dão mais essa importante contribuição à sociedade.

Comente esta notícia