Coxim/MS, Quarta-Feira, 06 de Julho de 2022 |
27˚
(67) 3042-4141
Cotidiano
Sexta-Feira, 28 de Janeiro de 2022, 18h:35
Tamanho do texto A - A+

Campo-grandense é multado em R$ 50 mil por erosão

Processos erosivos encontrados, que abrangiam área de aproximadamente 3.000 m²

Elaine Silva
Capital News

Divulgação/PMA

Campo-grandense é multado em R$ 50 mil por erosão

Campo-grandense é multado em R$ 50 mil por erosão

Policiais Militares Ambientais (PMA) de Costa Rica realizavam fiscalização nas propriedades rurais do município de Camapuã e autuaram nesta quinta-feira (27), um proprietário rural em razão de processos erosivos. 

 

A falta de conservação do solo, no uso alternativo de plantio de pastagem para pecuária, inclusive, em áreas de matas ciliares, que são áreas protegidas por lei, foram às causas principais do surgimento de voçorocas de grande proporção com ramificações e várias ravinas. De acordo com a PMA, os processos erosivos encontrados, que abrangiam área de aproximadamente 3.000 m², em algumas partes, atingiam o lençol freático e os sedimentos carreados causaram o assoreamento quase que total de um córrego que cruza a propriedade, deixando apenas uma pequena lâmina d’água, em meio ao sedimento. No entorno das voçorocas havia criação de gado e o pisoteamento dos animais contribuía ainda mais com o problema. Caso não haja a recuperação das erosões, bem como das matas ciliares e nascentes e a conservação adequada do solo na bacia, o córrego será totalmente destruído.

 

O proprietário rural de 35 anos, residente em Campo Grande, foi autuado administrativamente e foi multado em R$ 50 mil, pelos danos ambientais encontrados na propriedade. Ele também responderá por crime ambiental de destruir área de preservação permanente. Se condenado por este crime, poderá pegar pena de um a três anos de detenção.

 

A PMA determinou a interdição da área para proteção e recuperação, com proibição de atividades agrícolas e pecuárias. O proprietário também foi notificado a apresentar um Projeto de Recuperação de Área Degradada e Alterada (PRADA) junto ao órgão ambiental.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix