00:00:00 Quinta-feira, 18 de Julho de 2024


Cotidiano Terça-feira, 16 de Março de 2021, 16:53 - A | A

Terça-feira, 16 de Março de 2021, 16h:53 - A | A

Pesquisa

Corredor Bioceânico contribuirá no desenvolvimento do setor turístico em MS

Projeto da UFMS irá beneficiar a construção do Plano Municipal de Turismo em Porto Murtinho

Lethycia Anjos
Capital News

Débora Fittipaldi

Corredor Bioceânico contribuirá no desenvolvimento do setor turístico em MS

Museu Dom Jaime Aníbal Barrera em Porto Murtinho

Estudo realizado por pesquisadores do Projeto Corredor Bioceânico da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) irá fornecer subsídios para o desenvolvimento do setor turístico contribuindo para a construção do Plano Municipal de Turismo do município de Porto Murtinho em MSl.

 

O Coordenador do Projeto, Erick Wilke e a professora da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), Débora Fittipaldi, integram o projeto no Eixo de Turismo e estiveram em Porto Murtinho nos dias 25 e 26 de fevereiro, na ocasião foi realizado um levantamento de dados e avaliado as atividades turísticas no município. Também participaram da visita técnica os acadêmicos Luiz Augusto Silva e Júlia Montes do curso de Turismo da UFMS. Conforme a assessoria os recursos que viabilizam a  pesquisa são oriundos de emenda parlamentar do deputado federal Vander Loubet (PT/MS).

 

Em decorrência da  pandemia da Covid-19, os encontros foram divididos em dias e horários diferentes para evitar aglomeração, com apenas 1 representante de cada área e uso obrigatório de máscaras. Erick Wilke explica a relevância do projeto. “No encontro tivemos a oportunidade de conhecer e conversar com essas pessoas. Ouvimos as dificuldades e os anseios de cada segmento e das comunidades locais e também apresentamos dados sobre o Corredor Bioceânico, porque muitas pessoas desconhecem o que a rota representa de fato, e falamos sobre as oportunidades e desafios para o turismo no município, e a necessidade de se organizar para a recepção de um fluxo maior de pessoas”, ressaltou o coordenador via assessoria.

 

Foram realizadas reuniões com representantes de diversas instituições, como a Associação de Pescadores e Piloteiros, empresários de diferentes segmentos como hotéis, ranchos, pousadas, restaurantes, casas de aluguel, transporte turístico, artesãos locais, feirantes e representantes do poder público. Entre os representantes do poder público presentes na reunião estavam a vice-prefeita de Porto Murtinho, Eliane Rios de Almeida, as turismólogas Annie Diaz, Gilka Netto e Silvia Pinese, a bióloga Regina Salazar e o psicólogo Hugo Diaz.

 

O pesquisador Erick Wilke reforçou a importância da formação de associações. “Conversamos sobre a organização desses segmentos em associações para que eles possam participar do Conselho Municipal de Turismo e contribuir com o Plano Municipal de Turismo, que em breve deve ser constituído”, destacou Wilke.

 

Débora Fittipaldi explica como o projeto beneficiará o turismo local. “Além de identificar potencialidades e desafios para o turismo, o levantamento que estamos realizando a partir da rota bioceânica vai trazer respostas para questões que serão abordadas no Plano Municipal de Turismo do município”, explica a professora e pesquisadora Débora Fittipaldi Gonçalves (UEMS).

 

A pesquisadora enfatiza que o município possui potencial para expandir o setor turístico. “Há possibilidades para o turismo de observação de aves, para o turismo de experiência, de elaboração de city tour e do turismo gastronômico, por exemplo. Em Porto Murtinho, tem uma fruta típica local, que é o greifo, e há diversas receitas com essa fruta que podem contribuir para o aprimoramento do turismo gastronômico”, avaliou via assessoria.

 

O Projeto de Pesquisa e Extensão Corredor Bioceânico coordenado pelo Prof. Dr. Erick Wilke, da Escola de Administração e Negócios (Esan/UFMS), consiste na criação de uma rota rodoviária que permitirá a conexão viária entre o Centro-Oeste brasileiro e os portos chilenos de Antofagasta e Iquique, no Pacífico. O trajeto passará por cidades do Brasil, Paraguai, Argentina e Chile.

 

Comente esta notícia