Coxim/MS, Quarta-Feira, 12 de Maio de 2021 |
27˚
(67) 3042-4141
Cotidiano
Quinta-Feira, 22 de Abril de 2021, 10h:55
Tamanho do texto A - A+

Investimento de 25 milhões em contorno rodoviário vai agilizar exportações

O contorno rodoviário de 7,19 km construído em Porto Murtinho

Laryssa Maier
Capital News

Edemir Rodrigues

Investimento de 25 milhões em contorno rodoviário vai agilizar exportações

 

O contorno rodoviário de 7,19 km construído em Porto Murtinho, com investimentos de R$ 25 milhões do Governo do Estado, disciplinou o tráfego pesado e deu maior rapidez na chegada das cargas aos dois portos em operação, facilitando a movimentação de cargas por até 17h ininterruptas. O acesso permitirá que os operadores ganhem em agilidade e antecipem a saída dos comboios nos próximos cinco meses em que o Rio Paraguai é navegável.

 

Com estimativa de exportar 940 mil toneladas este ano – mais de 90% de soja e cimento – os terminais da FV Cereais e da Agência Portuária de Porto Murtinho (APPM) vem trabalhando com carga máxima para garantir escoamento de toda a produção contratada até o mês de setembro. A partir deste mês, segundo previsões, o nível de água da hidrovia não permitirá o trânsito de comboios devido à baixa recuperação da bacia do Rio Paraguai por falta de chuvas.

 

A obra executada pelo Estado consolida o projeto de expansão da capacidade portuária e de incremento da Hidrovia do Rio Paraguai, que se transforma em importante rota para escoamento da produção para os mercados internacionais, com translado nos portos da Argentina e do Uruguai. O acesso conta com faixas de rolamento de 3,5 metros de largura e acostamentos de 2,5 metros e atende aos portos em operação e às futuras instalações alfandegárias e de descarga, que somam três novos empreendimentos.

 

Para o secretário Jaime Verruck, da Semagro (secretaria estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), os investimentos em obras estruturantes em Murtinho refletem a estratégia do Governo do Estado de potencializar a vocação da região, entendendo a Hidrovia do Paraguai como canal natural e vital para oportunizar e ampliar as exportações a mercados extremamente demandantes.

 

“Temos dois novos portos em processo adiantado de licenciamento e buscamos diversificar a atividade portuária com incremento às importações de combustíveis e outros insumos”, disse. “Estamos reforçando a estrutura logística de Murtinho, eixo da Rota Bioceânica que abrirá caminho para os produtos brasileiros ao Pacífico com destino ao mercado asiático, facilitando também o dia a dia da cidade e garantindo qualidade de vida à população local.”

 

De acordo com a assessoria, a FV Cereais, com capacidade de estocagem para 30 mil toneladas de grãos, está recebendo uma média diária de cinco mil toneladas de soja e até o início desta semana estava com 12 mil toneladas armazenadas. O terminal voltou a operar a pleno a partir de 15 de fevereiro e já exportou 136 mil toneladas da matéria-prima, com destino aos portos de San Lorenzo, na Argentina. O grupo tem contratado 400 mil toneladas e pode chegar a 700 mil toneladas este ano.

 

Agência Portuária de Porto Murtinho (APPM) retoma as exportações de soja em maio (180 mil toneladas) e está operando atualmente no transporte de cimento (fábrica em Minas Gerais) para as obras de pavimentação do trecho do Paraguai da Rota Bioceânica, entre as fronteiras com o Brasil e a Argentina, com estimativa de 60 mil toneladas. O terminal projeta armazéns terceirizados em 2022 para atender clientes de minério de ferro e material de construção civil.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix