00:00:00 Quinta-feira, 18 de Julho de 2024


Cotidiano Quinta-feira, 17 de Setembro de 2015, 13:20 - A | A

Quinta-feira, 17 de Setembro de 2015, 13h:20 - A | A

Meio Ambiente

Só conseguiremos reverter os danos ambientais se estruturarmos parcerias com os produtores rurais, diz Ricardo Éboli

A nossa principal ação é a retenção das águas nas cabeceiras dos afluentes do Rio Taquari. O projeto já esta sendo desenvolvimento há dois anos é já temos retorno positivo em algumas regiões

Rafael Dias
Capital News

divulgação/Assessoria da Semade

Só conseguiremos reverter os danos ambientais se estruturarmos parcerias com os produtores rurais, diz Ricardo Éboli

A nossa principal ação é a retenção das águas nas cabeceiras dos afluentes do Rio Taquari

O programa de desenvolvimento sustentável da bacia do Rio Taquari foi tema debatido durante a segunda edição do projeto Rota de Desenvolvimento que foi realizado nesta semana em Coxim. A ação reforça pelos Secretários de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente da região Norte.  

 

O Secretário da Semade Jaime Verruck destacou as potencialidades da região norte e ouviu as necessidades dos gestores municipais e as dificuldades econômicas da região.

 

Ricardo Eboli, diretor de Licenciamento Ambiente do Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul, destacou a integração das ações entre o meio ambiente e o desenvolvimento econômico, com projetos que estão sendo estruturados por meio do Programa de Desenvolvimento Sustentável no Rio Taquari.

 

“O Imasul ainda é lembrado pelas licenças que não saem. Em oito meses já emitimos mais de 1.800 licenças ambientais, mais do que nos anos de 2014 e 2013. A eficiência passa pela integração com os setores da sociedade. Uma forma de fortalecer a interação é o Cadastro Ambiental Rural. 

 

O CAR é como um CPF (Cadastro da Pessoa Física) da propriedade rural. Se não tiver o cadastro ambiental rural haverá complicações futuras. Esse não cadastramento implica em perda de arrecadação também nas prefeituras, pois reflete com a regularização das propriedades, na expansão dos negócios e no recolhimento de impostos. Os municípios devem entrar na Caravana do CAR, para divulgar a importância do Cadastro” reforçou o diretor de Licenciamento Ambiental do Imasul.

 

“Só conseguiremos reverter os danos ambientais se estruturarmos parcerias com os produtores rurais. Temos dois tipos de degradação: a econômica, com solos poucos produtivos, e a degradação ambiental do Rio Taquari” afirmou Ricardo Éboli.

 

Microbacias - para o diretor-presidente da Agência de Desenvolvimento Rural (Agraer), Enelvo Felini, o programa de Desenvolvimento Sustentável da Bacia do Rio Taquari já investiu mais de R$ 2 milhões em ações e projetos para contenção do assoreamento da bacia do Taquari. “O programa prevê, ao todo, R$ 3,5 milhões. As microbacias contempladas estão nos municípios de Coxim, Alcinópolis, Pedro Gomes, Rio Verde de MT, São Gabriel do Oeste, Camapuã e Figueirão.

 

Comente esta notícia