00:00:00 Sábado, 20 de Julho de 2024


Coxim Quinta-feira, 26 de Março de 2015, 10:58 - A | A

Quinta-feira, 26 de Março de 2015, 10h:58 - A | A

Audiência pública discute duplicação BR-163

Luana Rodrigues - Capital News

Foi realizada nesta terça-feira (24), uma Audiência Pública para discussão do EIA/RIMA do empreendimento “Duplicação da Rodovia BR-163/MS”, no auditório da UEMS em Coxim. O evento contou com a presença do prefeito Aluízio São José, representantes do IBAMA, CCR, EPL e da JGP Consultoria e Participações Ltda, além de autoridades da região norte e a população coxinense.

Segundo Tatiana Veil de Souza, Coordenadora de Licenciamento de Transportes – Rodovias e Ferrovias do IBAMA, a audiência pública teve por objetivo: conhecer o projeto de implantação da rodovia; oportunidade para conhecer os resultados dos estudos ambientais (impactos positivos e negativos do empreendimento, medidas mitigadoras e compensatórias); Momento para manifestações relacionadas ao projeto e aos estudos ambientais (dúvidas, críticas e sugestões).

Foi tratado entre outros assuntos sobre o licenciamento ambiental, que de acordo com o artigo 10 da Lei 6.938/81 - é um procedimento administrativo que tem como objetivo disciplinar, previamente, a construção, instalação, ampliação e funcionamento de empreendimentos e atividades utilizadoras de recursos naturais considerados efetiva ou potencialmente poluidores, bem como aqueles capazes de causar degradação ambiental.

Serve para avaliar a viabilidade ambiental do empreendimento, considerando todos os aspectos relacionados não só com os recursos naturais, mas também com o próprio ser humano. Para assegurar a gestão ambiental na execução das obras de instalação, bem como na operação do empreendimento.

A empresa vencedora da licitação, CCR garantiu que até o momento, ocorreram os seguintes procedimentos: Definição do Termo de Referência; Pedido de Licença com a devida publicidade; Disponibilização do EIA-RIMA; e por fim a Audiência Pública.

Entre as medidas a serem implantadas na duplicação da BR 163 estão à questão da Mobilidade Urbana que é rota de tráfego entre municípios; Fluxos transversais nos municípios interceptados pela BR-163/MS; Tráfego de Produtos agrícolas, diminuição dos acidentes.

Também está em discussão o processo de desapropriação que poderá ocorrer nas seguintes situações: Desapropriação pelo Projeto: nas áreas de implantação de retorno em áreas rurais (ampliação da faixa atual); Áreas agrícolas e de pastagem; Ocupações da Faixa - Plano de Gestão Social da Concessionária.

Após as explicações sobre a duplicação da BR 163, foi aberta a discussão. Em sua maioria a preocupação além do impacto ambiental, é com a questão de desapropriação de imóveis que margeiam a rodovia BR 163.
 

Comente esta notícia