Quarta-feira, 29 de Maio de 2024


Coxim Terça-feira, 20 de Janeiro de 2015, 10:57 - A | A

Terça-feira, 20 de Janeiro de 2015, 10h:57 - A | A

Trabalhadores denunciam \"trabalho desumano\" em fazendas de Coxim

Taciane Peres - Capital News (www.capitalnews.com.br)

Os trabalhadores L.F., de 55 anos, C.C.S., de 57 anos e V.G.S., de 34 anos, procuraram a Delegacia de Polícia Civil para realizarem uma denúncia após serem submetidos a condições desumanas de trabalho, por volta de 16h13min, da última segunda-feira (19), em Coxim. De acordo com os trabalhadores, eles foram contratados por um homem para realizar a função de remoção de árvores nas margens da rodovia BR-163 pelo valor de R$ 2.200 por pessoa, sendo que, como L.F. possui um motosserra, receberia R$ 300 a mais pelo aluguel do equipamento.

No dia 05 deste mês, de acordo com o site de notícias Coxim Agora, L.F., e C.C.S., saíram de Bandeirantes (MS) e seguiram para Sonora (MS), conforme haviam combinado, dormiram num hotel, onde receberam um apenas o almoço no dia seguinte. Do dia 06 para o dia 07, pernoitaram no chão de um barracão aberto em Sonora, em seguida, vieram para Coxim, onde iniciaram os trabalhos e recebiam alimentação de baixa qualidade e dormiram também no chão de um barracão aberto onde funcionava uma funilaria na cidade.

Na última quinta-feira (15), foram mandados pelo contratante, realizar a limpeza de bueiros no trecho entre Sonora e Coxim, além de várias outras funções que não foram contratados. Na sexta-feira (16), o contratante mandou novamente fazer a limpeza em bueiros, no entanto, diante da recusa dos trabalhadores de realizarem serviços diversos, ele informou que se quisessem poderiam ir embora, só que não iriam receber nada, porque teriam que cumprir todo o serviço. Diante da situação os trabalhadores pediram para falar com o responsável, o que não foi atendido.

Quanto ao trabalhador V.G.S., foi contratado pelo mesmo valor dos demais para a função de motorista, mas, como não havia veículo, ficou desempenhando a função de cozinheiro e ajudante geral, ocorre que na manhã desta segunda-feira, foi conversar com o contratante sobre o desvio de função, e o mesmo o tratou de maneira desatenciosa, dizendo que se ele quisesse poderia fazer igual aos outros, pedisse a conta. Os trabalhadores procuraram a 1ª Delegacia de Polícia Civil de Coxim para registrar o boletim de ocorrência e garantir seus direitos trabalhistas. O caso foi registrado como Redução a Condição Análoga a de Escravo.

Comente esta notícia