Coxim/MS, Terça-Feira, 20 de Outubro de 2020 |
27˚
(67) 3042-4141
ENTREVISTA
Quinta-Feira, 01 de Outubro de 2020, 08h:05
Tamanho do texto A - A+

Campo Grande precisa ser lapidada, afirma Miglioli

Candidato do Solidariedade diz que vai buscar desenvolvimento urbano, econômico, humano, saúde e educação

Elaine Silva
Capital News

Divulgação/Assessoria

Marcelo Miglioli

Marcelo Miglioli, candidato a Prefeitura

 

No dia 15 de novembro acontece o primeiro turno das eleições 2020, neste ano para vereador e prefeito. Para apresentar os candidatos que concorrem a cadeira no Poder Executivo, o jornal Capital News, vai realizar uma série de reportagens, para mostrar os 14 políticos que buscam a Prefeitura da Cidade Morena.

 

Ednei Marcelo Miglioli, 48 anos, conhecido popularmente como Marcelo Miglioli, é engenheiro civil e bacharel em Direito e está concorrendo a Prefeitura de Campo Grande, pelo Solidariedade, concorrendo pela coligação “Campo Grande em Boas Mãos” Solidariedade/PMN, com o número 77.

 

Miglioli decidiu buscar a cadeira no Poder Executivo, por conta da sua história profissional. "Comecei a administrar empresa com 17 anos de idade e com 22 me formei engenheiro civil pela UFMS. Até hoje sou empresário. Tive a oportunidade de conhecer a máquina pública na condição de secretário de Obras e fiz muito por toda a infraestrutura do Estado de Mato Grosso do Sul, revolucionando o setor de obras do governo. Em função disso me candidatei a senador e obtive 248 mil votos. Com esses três pilares (vida empresarial, gestor público e candidatura majoritária), estou preparado para solucionar os problemas de Campo Grande", explicou Marcelo. 

 

Agora na corrida em busca do Poder Executivo, Miglioli vai nortear a sua gestão no "desenvolvimento urbano, econômico, humano, saúde e educação. Nosso projeto é programático, e não ideológico. Ele foi pensado no âmbito do projeto Pense Grande, Campo Grande, por meio do qual identificamos os principais problemas existentes em cada uma das regiões da cidade e apontamos as soluções, as quais serão implementadas de forma integrada, por meio de ações estabelecidas nesses cinco eixos sobre os quais falamos. A prioridade está em todas as áreas nas quais iremos atuar", afirma.  O candidato ainda relata que  “Campo Grande  é como diamante que ainda não foi lapidado”

 

Confira a entrevista exclusiva de Marcelo Miglioli ao Capital News na íntegra:

 

Capital News: Candidato, porque o senhor se acha preparado para ser Prefeito de 

Campo Grande ?

 

Marcelo: Por causa da minha história profissional. Comecei a administrar empresa com 17 anos de idade e com 22 me formei engenheiro civil pela UFMS. Até hoje sou empresário. Tive a oportunidade de conhecer a máquina pública na condição de secretário de Obras e fiz muito por toda a infraestrutura do Estado de Mato Grosso do Sul, revolucionando o setor de obras do governo. Em função disso me candidatei a senador e obtive 248 mil votos. Com esses três pilares (vida empresarial, gestor público e candidatura majoritária), estou preparado para solucionar os problemas de Campo Grande.

 

Capital News: Quais são seus 5 pilares principais no seu plano de Governo, caso seja eleito nessas eleições de 2020 ? Detalhe na sua ordem de prioridade o que acha que tem que melhorar para a população de Campo Grande.

 

Marcelo: Cinco eixos irão nortear a nossa gestão na prefeitura. São eles o desenvolvimento urbano, econômico, humano, saúde e educação. Nosso projeto é programático, e não ideológico. Ele foi pensado no âmbito do projeto Pense Grande, Campo Grande, por meio do qual identificamos os principais problemas existentes em cada uma das regiões da cidade e apontamos as soluções, as quais serão implementadas de forma integrada, por meio de ações estabelecidas nesses cinco eixos sobre os quais falamos. A prioridade está em todas as áreas nas quais iremos atuar.

 

Capital News: Como o senhor pretende se relacionar com os Governos Federal e Estadual ? Acredita que como Prefeito eleito possa fazer uma gestão de união entre esses poderes ?

 

Marcelo: Vamos nos relacionar da melhor maneira possível com os governos estadual e federal. Na condição de secretário de Obras do Governo do Estado, conseguimos avançar muito, apesar do momento crítico pela qual passamos na época, graças às parcerias que construímos. Com absoluta certeza vamos em nossa gestão na prefeitura formalizar parcerias que em muito irão beneficiar o município e a população.

 

Capital News:  Quantos vereadores acha que é possível eleger na sua chapa ? E não tendo a maioria de apoiadores eleitos na Câmara da Capital, como será sua gestão com todos os eleitos ?

 

Marcelo: Nossa coligação é formada pelo Solidariedade e o PMN. Trabalhamos com a possibilidade real de eleger pelo Solidariedade de 3 a 4 vereadores e o PMN de até dois vereadores. Estamos trabalhando muito forte com a nossa chapa para alcançar esses resultados. A nossa gestão será conduzida tendo como base o diálogo e os interesses da população e do município, não os interesses político-partidários. Vamos fazer a boa política, a nova política. É disso que Campo Grande precisa.

 

Capital News: As demandas na saúde e seus problemas aumentaram nessa Pandemia do Coronavírus, e ainda temos a constante falta médicos e enfermeiros. Qual seu plano de Governo para acabar com esses números e com as filas nos atendimentos das UPAS ?

 

Marcelo: Nós temos 3 pilares nessa área, que são extremamente práticos e factíveis. Vamos inicialmente fortalecer a saúde da família, levando o atendimento às casas das pessoas. Vamos fortalecer a unidades básicas de saúde, colocando equipes médicas, equipamentos e medicamentos em todas elas. E por último, vamos valorizar os profissionais que nessa pandemia foram os verdadeiros heróis mesmo diante do caos em que está a gestão da Saúde em nossa Capital. No longo prazo temos o projeto de construir um Centro de Diagnósticos e de Especialidades Médicas no prédio do antigo Hotel Campo Grande.

 

Capital News: Qual seu projeto concreto para revitalização da antiga rodoviária e seu entorno ?

 

Marcelo: Temos um projeto que prevê a construção de um moderno terminal rodoviário urbano, na parte do prédio que pertence ao município, e no local implantar também um centro de atendimento ao cidadão, com serviços do município, Estado e também do Governo Federal, que iremos convidar para se integrar à iniciativa. Dessa forma, o cidadão que sai do bairro poderá se dirigir com segurança até o local, com boas condições, e ter acesso a variados serviços públicos. Vamos fazer parceria com a associação dos lojistas do terminal para que possamos promover a revitalização do prédio, com a participação da iniciativa privada.

 

Capital News: Como o senhor define a cidade de Campo Grande, sua economia em geral e seus pontos de entretenimento para população. Quais os três lugares que mais gosta e frequenta com a sua família.

 

Marcelo: Defino Campo Grande como diamante que ainda não foi lapidado. Campo Grande já foi uma cidade sem favelas, foi uma cidade segura, que proporcionava a todos as condições de viver bem a todas as camadas sociais. Hoje é um município cujos problemas estruturais são jogados debaixo do tapete. Nesse período pré-eleitoral vemos o prefeito desesperadamente maquiando a cidade para tentar mostrar ás pessoas que Campo Grande está bem. Temos problemas sérios. Gosto de ir a um restaurante, caminhar no Parque dos Poderes e visitar os meus pais. Gosto muito de ficar com minha família.

 

Conheça o porquê Marcelo Miglioli  quer ser prefeito da Capital; confira o vídeo 

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix