Quinta-feira, 23 de Maio de 2024


Polícia Segunda-feira, 26 de Dezembro de 2016, 09:57 - A | A

Segunda-feira, 26 de Dezembro de 2016, 09h:57 - A | A

Investigação

Líder e discípulo de igreja são acusados de estuprar crianças em Coxim

A polícia espera que outras denúncias cheguem à delegacia após a divulgação do caso

Myllena de Luca
Capital News

Edição Notícias

Líder e discípulo de igreja são acusados de estuprar crianças em Coxim

Homem foi preso e as investigações continuam

Um líder religioso, Marcus Vinícius Borges Ferreira, de 28 anos, e o discípulo Newton Alexandre Barbosa, de 21 anos, são acusados de estuprarem crianças e adolescentes. O discípulo foi preso no fim de semana pela Polícia Civil de Coxim, na Vila Bela durante ação conjunta entre investigadores da 1ª Delegacia de Polícia Civil e da Delegacia de Atendimento a Mulher (DAM).

Marcus foi preso no Rio Grande do Sul, onde passaria o Natal e aniversário. De acordo com informações do site Edição de Notícias, cinco vítimas foram identificadas. Os dois estavam na cidade desde 2013, então a polícia acredita que existam mais crianças envolvidas no crime.

A mãe de quatro crianças, um jovem de 18 anos, uma menina de 5, dois meninos de 3 e 1 ano, descobriu que os filhos eram abusados. No desespero a mulher procurou a delegacia.

A mulher contou para a polícia que o líder e o discípulo pediram para passar um tempo na casa dela, pois não tinham onde morar. No domingo (18) o filho mais velho contou o que acontecia e que apanhava de Marcus e Newton.

Os abusos começaram há três anos. As crianças passaram por exames no Instituto Médico Legal (IML), que confirmaram os estupros. Os meninos tinham marcas nos ânus e a menina na vagina e no ânus. De acordo com o site, outra mãe de um adolescente de 15 anos que era membro da mesma célula comandada pelo líder e o discípulo, também procurou a polícia. Ela relatou que o filho lhe contou que era obrigado a manter relações com Marcus e Newton.

Os suspeitos diziam que estavam purificando as vítimas e que se contassem aos pais sofreriam maldições. A polícia espera que outras denúncias cheguem à delegacia após a divulgação do caso.

Comente esta notícia