Coxim/MS, Terça-Feira, 20 de Outubro de 2020 |
27˚
(67) 3042-4141
Rural
Quarta-Feira, 30 de Setembro de 2020, 17h:43
Tamanho do texto A - A+

Ex-ministro da Agricultura enalteceu o potencial produtivo de MS

Roberto apresentou dados que apontam o crescimento de soja em 58%

Laryssa Maier
Capital News

Segov/MS

Segov/MS

O potencial de desenvolvimento do agronegócio de Mato Grosso do Sul e os caminhos pós-crise foram tema da live

Na terça-feira (29) em live CBN em Ação, o ex-ministro da Agricultura, Pecuária, Roberto Rodrigues e o secretário de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel, além de outros representantes do setor produtivo e empresarial, falaram sobre o potencial de desenvolvimento do agronegócio de Mato Grosso do Sul e os caminhos pós-crise.

 

Na ocasião, o ex-ministro enalteceu o potencial produtivo de Mato Grosso do Sul, mencionando nominalmente o secretário de Governo como motivo de orgulho para o MS: “Mato Grosso do Sul é um Estado extraordinário, tenho alguns dados que mostram o que aconteceu com o Estado neste ano em relação ao ano passado: a produção de soja cresceu 58%; produção de açúcar, 207%; MS é o segundo maior produtor de carne bovina, 5º de soja, 4º de milho, 2º de produtos florestais e 4º de cana de açúcar. É um baita Estado, com um povo maravilhoso. Tenho um orgulho enorme de estar no Mato Grosso do Sul encontrando colegas que ajudam a formar um Estado maravilhoso no sindicalismo, no cooperativismo, na sociedade civil, nas universidades e um governo que tem um homem como o Eduardo Riedel, tem que ter orgulho mesmo do que está fazendo”, destacou.

 

De acordo com assessoria, Roberto Rodrigues discorreu sobre o cenário do agro brasileiro em âmbito global, destacando as oportunidades e os desafios relativos à logística, seguro-crédito, imagem, diplomacia, tecnologia, defesa sanitária, organização e comunicação, com destaque para a visão de futuro: “Mato Grosso do Sul precisa avançar muito na agregação de valor, como o Paraná fez. Aí, com ação pública somada com a privada, vender não só commodities, mas produtos mais bem-acabados”, apontou.  

 

Durante a live, o secretário de Governo destacou a mudança do agronegócio no Estado e a redução da faixa de pobreza, de 40% para 5% em 2020, como fatores que impulsionaram Mato Grosso do Sul a ranquear entre os seis mais competitivos do país: “Agregada à essa transformação social, tivemos nos últimos quinze anos uma diversificação da matriz de produção com a safrinha, algodão, pecuária de leite, papel e celulose, acompanhada da industrialização – que é o primeiro passo na agregação de valor, tão bem colocada pelo Roberto como chave para nosso desenvolvimento”, destacou Riedel.

 

Riedel abordou com o ex-ministro também a questão do crédito internacional: “Neste momento de taxa de juros reduzida, quando vamos destravar esse capital financeiro em massa que está rodando o mundo para alavancar o agronegócio brasileiro?”, perguntou. “Eu diria que nosso problema é ter um sistema financeiro muito concentrado. Há uma espécie de grupo pequeno que toma posições de forma mais ou menos homogênea quanto ao crédito. Nós precisamos ampliar o mercado financeiro brasileiro e flexibilizar o uso desses papeis novos no financiamento do crédito rural. O Brasil demorou muito para perceber que uma saída liberal é melhor que uma saída estatal”, concluiu Rodrigues.

 

Também participaram da live, o vice-presidente do Sistema Famasul, Luis Alberto Moraes Novaes; o presidente da OCB/MS, Celso Régis (OCB-MS); o diretor do Grupo Master, Luiz Antônio de Souza Campos; o coordenador do curso de Ciências Contábeis da Unigran EAD, professor Reginaldo José da Silva, além do jornalista e apresentador do CBN Agro, Éder Campos.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix