Coxim/MS, Domingo, 17 de Novembro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Rural
Segunda-Feira, 14 de Outubro de 2019, 14h:32
Tamanho do texto A - A+

Governo e Ministério da Agricultura garantem aumento de produtividade para produtores

E assistência técnica para 110 produtores de médio porte

Laryssa Maier
Capital News

Divulgação/ Agraer

Governo e Ministério da Agricultura garantem aumento de produtividade para produtores

Trabalho de assistência técnica da Agraer garantiu ótimos resultados na recuperação de pastagens nas propriedades participantes do projeto

 

Governo do Estado através da Semagro, deu início a um trabalho em benefício de  produtores de médio porte, depois de priorizar as políticas públicas, programas e ações voltadas ao estímulo da produção produtividade e da qualidade dos produtos e serviços rurais, para a melhoria das condições de renda, da qualidade de vida e para a promoção social e desenvolvimento sustentável dos agricultores familiares e pequenos produtores.

 

Na ultima segunda-feira (07) na apresentação de resultados, nas dependências da Sinterpa, foram demonstrados detalhes sobre as técnicas utilizadas, as dificuldades encontradas e apresentados os bons resultados obtidos nas áreas atendidas.

 

Ao receber os resultados do trabalho fruto do convênio firmado entre a Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer) e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) de 110 médios produtores rurais, que focou principalmente na recuperação de pastagens degradadas, o Secretário Jaime Verruck, reforçou a importância da prorrogação do convênio lembrando que a tempos a equipe da Secretaria buscava alternativas para atender esse nicho e que o Governo Federal anunciou um significativo aumento do volume de recursos de financiamento destinado ao médio produtor.

 

Segundo assessoria, Araquem Ibrahim Midon, gerente de Desenvolvimento Agrário e Abastecimento da Agraer, as ações foram realizadas de comum acordo entre produtores e técnicos, levando em consideração os diagnósticos obtidos na propriedade, que ao final serviram como unidades de demonstração para que outros produtores conhecessem o trabalho e pudessem participar. “Os bons resultados, apresentados em dias de campo, chamaram a atenção de outros produtores e tivemos assim a participação de 110 nessa primeira fase”. Explicou, lembrando que a equipe trabalha pela prorrogação do convênio considerando o crescente interesse de novos participantes.

 

O Diretor Presidente da Agraer, André Nogueira Borges, destacou a utilização de tecnologia, a disseminação de informação e a orientação na aplicação de recursos como sendo os pilares do sucesso do projeto. O Diretor acredita que a satisfação dos produtores que participaram irá garantir a continuidade do convênio.

 

A presença da agência nos 79 municípios foi reforçada por André para chamar a atenção dos produtores que tenham interesse em participar do projeto ao mesmo tempo em que lembrava as recomendações feitas pela equipe de que é preciso evitar o ciclo reforma-degradação-reforma, trabalhando o planejamento e mantendo-se atento a orientação dos profissionais da Agraer que passam constantemente por atualizações e treinamentos e tem obtido saldo cada vez mais positivo sem esquecer da importância das parcerias que mantém.

 

Um dos exemplos apresentados pela gestora do Convênio, Rosemeire Lander Borges Cardoso - da Gerência de Desenvolvimento Agrário e Abastecimento da Agraer – foi o trabalho realizado no Sítio São Paulo, no município de Dois Irmãos do Buriti, onde foi renovada a pastagem de 10 hectares, retirando o ‘braquiarão’ e introduzindo a ‘braquiarinha’ a um custo de R$ 1.595,00/ha. A substituição levou em conta a experiência do proprietário do sítio, Laércio Marques Rosa Sobrinho, no uso das duas cultivares. Com essa ação a capacidade da propriedade passou de um para três animais por hectare, no período das águas.

 

Para Fernando Tosta, proprietário da Fazenda A. Raimundo, de Aparecida do Taboado, que já trabalhava a reforma de pasto por conta própria, entrar no projeto foi fundamental para alcançar os resultados que buscava. Ao fazer uso do capim MG5 – Xaraés Fernando observou sua resistência à cigarrinha, rápido crescimento, destacando que com 25 dias já pôde colocar o gado no piquete.

 

O produtor lembra como foi abrir mão do sistema extensivo em que o gado é criado solto no pasto. “A pastagem já não estava tão boa, você começa a perceber que o solo vai ficando degradado e foi aí que eu quis fazer a reforma. Como eu já tinha uma amizade com o Atílio, técnico da Agraer, eu andei trocando uma ideia com ele e, por fim, veio convênio para ajudar”. Ressaltou.

 

Com a parceria ele observou a oportunidade de aumentar os ganhos e reduzir as perdas. “A coisa ficou tão difícil que a gente tem que evitar errar, tudo está caro. Com a orientação certa a gente diminui os riscos de errar. Digo que a gente começa pequeno, mas sempre pensando grande e quem não partir por parcerias, busca de melhoria tende a ficar fora do mercado”.

 

Quando da realização do dia de campo haviam sido reformados 40 hectares da propriedade sendo que uma área de 5 hectares é a que serviu de vitrine tecnológica no dia do evento. Além da visita pela área de URT, o grupo de produtores recebeu capacitações entre elas: Reforma e Manejo de Pastagem e Manejo de Percevejo Castanho em Pastagem.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix